Minha História

Nasci em 31/12/1963, em Campinas-SP, onde residi apenas entre 1969 e 1970. Fui criado em Jundiaí-SP, cidade na qual frequentei, sempre, escola pública. Fiz os antigos Primário  e Ginásio, correspondentes ao atual Ensino Fundamental. O Segundo Grau, hoje denominado Ensino Médio, fiz no Colégio Técnico de Jundiaí, no curso de Agrimensura.

SCAN0007

Formatura no pré-primário em 1970 / Arquivo pessoal.

Cursei dois anos e meio (1983-1985) de Filosofia no Seminário Diocesano de Jundiaí. Nesses anos participei de Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), Pastoral Urbana e Pastoral Social. Também trabalhei como funcionário concursado na Câmara Municipal de Jundiaí (1986-1987), no setor de redação de projetos de lei, moções, requerimentos e demais proposituras próprias ao processo legislativo.

Em 1988 integrei, pela Pastoral Social de Jundiaí, um projeto de alfabetização de adultos na favela da Vila Ana. Comecei a atuar como professor na rede estadual em SP (1988-1990) e na rede particular de ensino em Jundiaí (1990-1993).

Sou Bacharel em Sociologia (1990), Mestre em Sociologia (1994) e Doutor em Ciências Sociais (1999), títulos obtidos na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com Pós-doutorado em Sociologia (2008) pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp/Araraquara).

Ingressei na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), por concurso público, em 06/10/1993, onde estou até hoje, tendo alcançado o último degrau da carreira docente, a de Professor Titular, no Instituto de Ciências Sociais, em novembro de 2015. Ministro disciplinas de Ciência Política e Sociologia para vários cursos de Graduação e Pós-Graduação, além das atividades de pesquisa, extensão universitária e gestão.

12246610_1015583885128561_6740038108044427303_n

Defesa de memorial para progressão à classe de professor Titular, em novembro de 2015, ao lado dos membros da banca, Prof. Ricardo Antunes e Prof. Marcelo Badaró Mattos / Acervo Pessoal.

Minha trajetória acadêmica pode ser consultada na Plataforma Lattes, do CNPq.

Atuação em movimentos sociais, sindicatos e política partidária

                Entre 1982 e 1985 integrei a Pastoral Social da Diocese de Jundiaí na organização de Grupos de Compra Comunitária, na Vila Comercial (periferia), em convênio com a Secretaria Estadual de Abastecimento de SP.

                No período da Constituinte (1986-1988), representei essa Pastoral Social nas articulações locais e estaduais, com vistas à reforma urbana, vivendo, muito de perto, aquela intensa experiência de participação política popular. Disputei as eleições municipais de 1988 (como candidato a vice-prefeito) e 1992 (como candidato a vereador, obtendo a primeira suplência na Câmara Municipal de Jundiaí), pelo PT, do qual me desfiliei em 1999.

                Fui conselheiro do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de SP (Apeoesp), entre 1988 e 1990, e fundador e diretor (vice-presidente) do Sindicato dos Professores das escolas particulares (Sinpro-Jundiaí), de 1990 a 1993. Já, na UFU, assumi a vice-presidência da ADUFU (Sindicato dos professores da UFU) em dois mandatos: 2000-2002 e 2009-2011.

                Nesses 23 anos em que resido e trabalho em Uberlândia tenho procurado dar um retorno à sociedade, em função do que ela me propicia como servidor público. Neste sentido, desenvolvo atividades – na cidade, região e outros Estados – de formação política e de análise de conjuntura em várias entidades e movimentos sociais, tais como, entre outros:

  • Central de Movimentos Populares;
  • Sindicatos de trabalhadores(as) da alimentação, educação, telecomunicações, bancários, comerciários, previdenciários, rurais e de luta pelas reformas urbana e rural;
  • Comissão Diocesana de Justiça e Paz, Igrejas, Comunidades Eclesiais de Base, Pastoral Operária;
  • Entidades ligadas aos direitos da mulher (SOS Mulher e Conselho Municipal da Mulher);
  • Conferência Municipal de Saúde;
  • Movimento estudantil;
  • Movimento negro;
  • Estação Vida (Shopping Park);
  • Associações de moradores de bairro;
  • Cooperativas de pequenos proprietários rurais;
  • Polícia Militar;
  • Câmara Municipal (principalmente nas ações da Escola do Legislativo);
  • Secretaria Municipal de Educação (especialmente o Cemepe).

Minha militância de debate público amplo tem sido feita sob múltiplas formas, sem interrupção.

filiação ao PCdoB

Assinatura da ficha de filiação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) / Acervo Pessoal.

Filiei-me, em outubro de 2015, ao PCdoB, por ser um Partido com o qual possuo afinidade em termos de projeto de transformação social, coragem para enfrentar desafios e análise de conjuntura.